Palestra: Como Parar de Fumar


Todos nós passamos por etapas de desenvolvimento, movimento, crescimento e ordenação, inclusive os fumantes no processo de interrupção da dependência. Juliana sempre achou imprescindível compartilhar suas experiências e descobertas profissionais. Aproveitando, então, sua desenvoltura com o público, na mesma época de seu trabalho com tabagistas, a psicóloga começou a palestrar sobre o tema. Dessa forma, em um curto espaço de tempo era possível repassar sua mensagem para um grande público.

Tópicos abordados na Palestra - Cigarro: como romper esse legado

  • Núcleo Familiar, onde tudo começa... Poderemos entender a família como uma organização baseada nas relações de interdependência entre seus membros e seus aspectos biológicos, psicológicos, culturais e sociais. É no seio familiar que derivam nossas primeiras sensações, nossos primeiros pensamentos e nossas primeiras ações.
  • A influência do cigarro na dinâmica familiar O cigarro torna-se participante das ocorrências e manifestações do dia a dia de nossa família no momento em que ele passa a influenciar de maneira significativa a dinâmica e as relações familiares.
  • O ato de fumar como uma repetição de padrões intergeracionais carregada de crenças e de mitos A dependência como reprodução de uma experiência do cotidiano da família. A identidade familiar do fumante está associada à identidade dele e é influenciada pelos mitos e crenças relacionados ao cigarro.
  • O cigarro visto como um legado familiar Legado é tudo aquilo que pode ser transmitido por meio de exemplos e realizações pessoais, os quais vêm de nossos antepassados e podem ocorrer não somente de pais para filhos, como também de avós para netos, de bisavós para bisnetos e assim sucessivamente. Além disso, esses exemplos e realizações pessoais apresentam grande carga emocional e alimentam muitas e muitas gerações.
  • As faces do fumante Refletiremos sobre algumas das importantes faces que caracterizam esses indivíduos. 
  • Fumante e Rede social O contexto social pode influenciar as pessoas a se tornarem ou não fumantes e na manutenção ou não desta dependência. A rede social vista também como um importante recurso de ajuda durante o processo de interrupção do tabagismo. 
  • Fumante e Religiosidade Todos nós, humanos, nos comprometemos com uma re­ligião a fim de reduzir a angústia e a ansiedade, criar esperança e conforto emocional, diminuir a dor e não cultivar o sofrimento, solucionar problemas relacionados a perdas, possibilitar a crença e a fé em um ser superior bom, orientar-nos moralmente quanto a práticas e estilos de vida. 
  • Fumante e Comunicação A comunicação verbal e a não verbal influenciam na manutenção e na interrupção do relacionamento entre o fumante e seu “verdadeiro” companheiro. 
  • Resiliência O poder de superação dos indivíduos. Mostraremos como uma dolorosa experiência pode gerar uma grande competência, uma das alavancas no resgate de recursos próprios para o processo de abandonar o cigarro de vez. 
  • As Fases do Fumante Todos nós passamos por etapas de desenvolvimento, movimento, crescimento e ordenação, inclusive os fumantes no processo de interrupção da dependência. 
  • O Luto Qualquer mudança de vida, mesmo as desejadas, traz alguma perda. Todas as perdas requerem luto, para que ocorra o reconhecimento da irreversibili­dade e a transformação dessa experiência a fim de se entender o que é essencial para seguir em frente.

 

É possível romper esse legado.
Faça parte!